segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Não vivo sem ele nem sem ela

Creme nivea, trident, lapiseira e água são alguns itens sem os quais não consigo trabalhar; produzir na minha senzala intelectual.
Há também o dicionário. Não sou ninguém sem ele. E quando estou aqui no micro gosto e preciso acionar o meu Aurélio: ora sim, ora sim...rs
E agora, o danado resolver encrespar comigo. Desinstalo, instalo e o bichinho quer me vencer pelo cansaço. Vence não!!
Insisto. Sou mais teimosa que ele; corro o mouse no danado, dou enter com força e assim, aos trancos ele vai funcionando.
De uns dias para cá percebi que, ao ser acionado, já vem travado e numa palavrinha só: felicidade...
Fiquei pensando, pensando - logo eu que odeio as tais frases construídas e habitualmente usadas, sem nenhum critério: quem sabe, nessas ocorrências, encontra-se o "nada é por acaso"? Só rindo!!!
Porque realmente não há como viver sem meu Aurélio nem sem a tal felicidade.

5 comentários:

umdiaHelô disse...

Pois não é que, quando li o título pensei: Lá vai ela declarar seu amor ao Rafa e a Paulinha. E dei risada.
Mas seus outros "ele e ela" também são importantes e necessários. Felicidade sempre e Aurélio também.

Genisvaldo Reis disse...

Sempre faltarão palavras em nosso vocabulário e felicidade para nosso coração mas, a falta é que nos faz gente.

Thiago disse...

então a danada da felicidade anda literalmente contigo hahaha isso é muito bom não é verdade? Dicionário é quase um melhor amigo hahahahaha ! Um abraço e estava com saudae de ler-te!

Thiago disse...

er. teclado teclado teclado! SAUDADE!

rafa disse...

Adoro!!!
Tanto que comprei um Mini Aurélio, que é pra poder ver a qualquer hora, ir pra cama com ele e tudo.
hahaha
Isso foi péssimo!!!

De certa forma o post fala de mim e da Paula, né?!
Afinal, felicidade sem nós dois não existe!
hahaha

(Definitivamente, o Jogo de Mímicas mexe com a auto-estima das pessoas! rs)