domingo, 1 de agosto de 2010

Do banho dele

Ela se lembra bem que gostavam de muitas coisas um do outro e que gostavam igual de outras tantas coisas: músicas, livros, amigos e depois... filhos que tiveram.
Os gostos semelhantes não foram abandonados depois da separação. Havia saudade daqui e dali; um ou outro comentário a respeito do passado. E ela sempre mais falante dizia sobre; ele ouvia, esboçava apenas um sorriso e, numa ou noutra vez, dava uma boa risada.
Ela não sabe ao certo quando, finalmente, se separaram; sabe que não há mais lembranças do tempo que passaram juntos ou, pelo menos, não há citações sobre esse tempo, quando se encontram.
Se ela não se lembra mais de tantos fatos, provavelmente ele também não. Isso pra ela é a mais pura probabilidade...
De tantas coisas que se recordava uma delas nunca esqueceu, é pensamento bem recorrente, aliás: o banho dele, o jeito que se cuidava nessa hora que ela adorava presenciar. Belíssimo rito.
Tem vontade de fazer comentários a respeito; mas incrível, fica constrangida quando imagina que ele pode pensar que banho está ligado ao nu e nu ligado ao que tinham de mais íntimo.
Mesmo falante, ela não saberia como dizer que a saudade de vê-lo tomando banho representa algo bem íntimo mesmo, mas não do íntimo que ele pode imaginar; é daquele outro: do amor que unia os dois. Aquele amor que foi, por muito tempo regado, como o banho dele: água farta; gestos sabidos, sem pudor; e muito, mas muito zelo.
.

9 comentários:

Jéssica Amorim disse...

Que coisa mais linda. Só que ama muito, de verdade, tem a sensibilidade de se apaixonar por pequenos detalhes... a meneira que come, que dorme ou que toma banho.
Post docinho... gostoso de ler.

Rosana Tibúrcio disse...

Jésss, eu me lembrei de você, quando postei. De quando te contei e que é a única pessoa que entendeu direito sobre...
beijossss e saudades.

Helô disse...

Adorei a delicadeza com que o fato foi contado. Sensibilidade pura. Saudades de vc. Bj

Rosana Tibúrcio disse...

Cuti cuti!!


Oi Helô, eu também tô.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Adorei!

Apoena Míope disse...

Que coisa delicada, Rosana!

Uma lindeza você escrever isto!

Beijos

Rosana Tibúrcio disse...

É uma boa lembrança, por isso post ficou cuti cuti, meninas.

Rafael Freitas disse...

Ficou ainda mais bonito que a sra contando isso pessoalmente. Juro!

Rosana Tibúrcio disse...

É o que restou... do nosso amor lá ri lá!!