terça-feira, 2 de setembro de 2008

TOC?? Não, só algumas manias


Obs.: atendendo a pedidos, hoje posto um de meus textos no tempo em que eu era a Quintinha Tibúrcio e participava do blog "Deixa-pra-lá." Este texto foi postado em 26 de abril de 2007.
De lá pra cá, mudei pouca coisa - e acrescentei outras manias no meu currículo de mulher quase normal. AMO!!

Geeeeeeenteeeeeee, cês não têm noção da dificuldade que eu tenho de não cumprir minhas obrigações, sejam elas gigatísticas, ou não.
Sufoco, chegar na quarta, à meia-noite e não saber o que postar, o que falar. Sou uma pessoa que aprecia rotinas, organização, não funciono sobre pressão... não rendo assim. ai ai ai
Eu tenho o meu jeito "diariamente" de ser.
Aí, agora de manhã cedo eu pensei: é sobre isso que vou falar, das minhas manias, dos meus TOCs... ODEIO quando falam que eu tenho transtorno obsessivo compulsivo. EU NÃO TENHO ISSO!!!!!!

Transcrevo alguns diálogos para que vocês possam analisar se meus hábitos, são só hábitos... ou outras coisas. Sejam justos comiguinho...rs.

Diálogo 1: (ano de 1979)
- hihihihi
- por que a senhora está rindo? (minha sogra, na época)
- reparando aqui, cê coloca o prendedor combinando com cada roupa e é capaz de voltar pra pegar outro e substituir.
- senhora tá brincando!!
- tô nada, cê é maluca...
Comentário: a partir dessa data, penso que, por pirraça, eu passei a fazer isso. Hoje tenho coleção de prendedores e fico louca quando uma cor acaba - se quiserem façam uma indagação à Ana Amélia (tá no meu orkut) - ela sempre cuida desse meu terror, ela me dá váriosssssss prendedores...

Diálogo 2: (ano de 1998 mais ou menos)
- Marina do céu, esqueci de comprar uma escova de dente pra mim, vai ali no super e pega uma pra mamãe? Joguei a outra fora.
- Tô indo (tinha um supermercado a uns 10 metros de casa).
- Toma mãe, prontinho.
- MARINA, EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ COMPROU UMA ESCOVA AZUL PRA MIM... NÃO SABE QUE EU SÓ USO VERMELHA? VAI LÁ TROCAR.
- hahahaha cê é ridícula mãe, claro que não vou.
Comentário: sofri por uns 3 dias. Ah! também eu tava precisando de uma outra escova pra deixar lá no meu banheiro pra limpar cantinho de azulejo...

Diálogo 3: (ano de 2002)
- Parabéns, Rosana. Trouxe uma lembrancinha pra você. Sei que você gosta é de conjunto, mas pensei: tá na hora da Rosana parar com essas manias.
- Obrigada, nem precisava trazer lembrança alguma. (Abro o embrulho e vejo uma calcinha de uma cor e o sutiã de outra cor e outro modelo - respiro fundo.)
- Onde mesmo você comprou? Tô precisando de conjuntos novos e amanhã vou lá e compro mais duas peças.
- rárá... lá não tem as outras peças, eu procurei. Mas eu só compro nessa loja, sabe? Fiquei com preguiça de ir noutra. Ah, sá... use assim mesmo, pára com essa mania. Ou você não vai aproveitar meu presente?
- claro que vou, se eu não encontrar os pares noutra loja eu presenteio pra primeira pessoa que fizer aniversário e usar meu número, pra alguém que não tem mania idiota feito eu, podexá... nem vou rasgar a embalagem, obrigada.
Comentário: porra, se é pra torrar meu saco nem precisa vir no meu aniversário. Amizade já desfeita - não por esse motivo, mas sacaram que nem era gente do bem, né???

Diálogo 4 (2002 ou 2003, creio) intervalinho de estudo.
- Raquel do céu, cê viu que horror daquele prédio caindo por conta do cara ter usado areia de praia na construção?
- Nossa, morri de dó daquele povo gritando, debaixo dos escombros. Deve ser uma agonia, você, ali viva e sem saber se vai escapar.
- É verdade, e aquele monte de terra na cara, no corpo da gente? Se eu estivesse lá ia morrer de gastura sem o meu creme nivea.
- HÃNNNNNNNNNNNNNNNN?
Comentário: tá, humor negro - depois eu rezei muito e pedi perdão a Deus pelo pecado... Tô zerada!!!

Diálogo 5 (2004)
- Eu não acredito, quem mexeu na minha bolsinha de dinheiro e fez essa putaria aqui?
- Ah, mãe, tem dó, que chatura, o troco não está aí?
- Tá, tá sim, mas cê sabe, Marina, que eu GOSTO do dinheiro arrumadinho: carinha com carinha, do valor maior para o menor, cê me conhece.
- Ai, mãe, cê é ridícula!!!
Comentário: não é bonitinho tudo arrumadinho???

Diálogo 6 (várias vezes)
- Marina, faz um favor pra mamãe, cê tem um trocadinho aí?
- Tenho mãe, que foi?
- Meu trident acabou, como é que eu vou trabalhar?
- Ai, mãe, cê é ridícula, eu levo, podexá.
Comentário: faz parte do material de trabalho, e daí??? Mas, agora, ela em Brasília eu passo algum sufoco, vez em quando...

Diálogo 7 (diariamente)
- Laurinha, traz um copo d'água pra mamãe?
- cadê seu copo?
- Ai, filha, não sei, procura aí...
- Tá... (às vezes, com carinha de muxoxo)
- Se não achar traz noutro, depois eu procuro.
Comentário: eu até bebo a água, mas ela tem outro sabor, gosto de água no MEU copo AZUL...

Outros diálogos (de mim para comigo)
a) - Ai, meu Deus, cadê minha lapiseira? Como é que eu vou elaborar um texto sem ela? E a minha borrachinha??? Ai, tenho uma raiva de esquecer onde coloquei minha bolsinha de lápis.
Comentário: cabeça avoada!!!
b) - Por favor, sente aí que já volto (apontando 5 cadeiras pra o cliente sentar)
Na minha volta: - você se incomoda de sentar na outra cadeira ali? (porra, eu apontei as outras cadeiras, essa é a MINHA, é o lugar onde eu funciono...)
Comentário: tenho um lugar pra almoçar e outro pra trabalhar... o do almoço eu até cedo, de boa, pras visitas, mas o de trabalhar ou estudar... ai, num dá!!!

Gente, eu não sou normalzinha? São só algumas coisinhas básicas que me fazem assim, tão singular.
Mas olhem só, pra alguns babados da vida eu vario bastante, nem sou rotineira, gosto de experimentar coisas bem diferentes, de vários jeitos. (Genteeeee, tão pensando maldade?)

Obs.: só compro sabão em pó omo, detergente limpol, desinfetante pinho sol, lasanha da sadia, café união... e por aí, tenho as minhas MARCAS!!!
hahahahaha

Uma boa quinta-feira pra vocês, desculpem-me se torrei o saquinho e fiz um texto tão longo. Mas na quinta cês já sabem: é dia de uma "ridícula" na parada. E hoje ela não agiu como, diariamente, fazia, já amanhecia com o texto pronto ou postado.


É ISSO!!

2 comentários:

Genisvaldo Reis disse...

Hilário, muito bom mesmo, com a vantagem de poder rir de si mesma e da cara dos outros, sei disso. Que texto mais gostoso, faça mais assim. Espero estar na lista dos "bens invariáveis".

Rosana Tibúrcio disse...

ow... sempre estará e ratificando o que já foi dito, há mais de uma década: "nem o tempo, nem a distância".