quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Quem não me conhece, me conhece

Esta semana vivi duas situações estranhas em relação à minha profissão. Fiz um trabalho extenso e difícil pra alguém que me conhece há anos, muitos e muitos anos. Incrível como dúvidas bestas surgiram a todo instante. Como foi fácil pra pessoa achar que todos estavam corretos, menos eu, e em coisinhas técnicas. Nunca fui tão perquirida, e por coisas que domino muito, bastante, resumindo: que sou "bouuaaa" mesmo.
Como isso me irritou, me irrita!!!!
Por outro lado, tive a grata surpresa em relação a uma pessoa que não conheço pessoalmente, só nos falamos por telefone. Ele me foi indicado por uma ex-colega de faculdade que sempre confiou em mim e em meu trabalho.
Ontem quando trabalhava no projeto dele vi que não conseguiria entregar a contento: eu gripei feio, e gripada, não presto.
Liguei para ele e falei da minha preocupação em relação ao compromisso firmado e como eu estava chateada e doente (é, eu vou pra cama mesmo, quando gripo, uma coisa absurda, pra não dizer, ridícula).
Qual foi a reação do cliente que nunca me viu? "Rosana, relaxa, melhora primeiro, eu tô tranqüilo, confio em você, pois K. me disse quem era." Não foram exatamente essas palavras que ele usou, mas foi o quis dizer. Detalhe: ele já me pagou pelo serviço.
Eu tenho verdadeira paixão pelo sentimento confiança, é tudo pra quem trabalha árdua e seriamente como eu.
Às vezes, me dá vontade de desistir do meu trabalho, por conta do ocorrido com quem me conhece há décadas; mas aí, vem um crédulo, amante de "gentes" e me estimula a continuar nessa profissão que tanto gosto: orientar desorientados...
Há orientandos que me guiam - sorte a minha - e azar de quem pouca confiança tem no semelhante.
P.S. ainda estou gripada - continuo não prestando - mas ainda muito "bouaa"!!!
Só rindo!!
.

5 comentários:

umdiaHelô disse...

Se consolo for, não é só você que sofre com as "dúvidas" que os alguns amigos têm sobre nosso profissionalismo. Já ouvi de quem conheço há quase duas décadas perguntas ridículas quando dela cuidava. Ninguém merece!

umdiaHelô disse...

Eu também vou prá cama quando gripo. Não presto nem prá dizer bom dia.

Rosana Tibúrcio disse...

Sério isso, com você também? e olha que eu conheço o seu trabalho: perfeito.
Não só porque Nina me havia dito, mas porque eu fui beneficiada por ele.
É demais, é demais, mas há os crédulos e são por eles que devemos continuar.

Thiago disse...

Pois é... credibilidade no que a gente faz é tudo! Gera isso! :)

Parabéns e melhoras pela gripe!

rafa disse...

O povo surta, principalmente os teimosos!
Como eu...
rss