quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Prisão

Há anos, não sei dizer exatamente quantos, eu tenho um jeito de pensar e sentir a não-liberdade.
Havia até então, três fatores que me aprisionavam: a desconfiança, o medo e a vergonha. Em vivendo qualquer um desses “fenômenos” eu me sinto presa, amordaçada: sem ação.
A desconfiança é fatal. Imagine você não confiar no outro que está a seu lado? Cruel demais. E não falo aqui só das tais desconfianças amorosas-sexuais-românticas.
O medo, ahh o medo, esse eu conheço bem. Sou capaz de não sair de um quarto se tiver um rato rondando minha casa. (pode ser do tamanho que for e provocar risadinhas em "corajosos".) Importante acrescentar os cachorros e todos aqueles animais que mexem, pulam, piscam o olho e voam...
A vergonha é uma coisa absurdamente ruim. Isso de envermelhar o rosto me deixa também sem chão, ou presa a ele...
Ocorre que, de uns tempos pra cá, descobri uma outra situação que me angustia, me deixa sem lugar: favores.
Muito ruim depender de favores, seja lá de quem for, até dos mais queridos, como os das filhas.
Porque se você precisa de favor é importante observar umas coisinhas.
.Prefiro que me digam: "não rola, Rosana, não posso fazer isso."
.Se é favor, quando vier tá de bom tamanho, certo? Não, eu não concordo. Quem quer fazer favor precisa perceber a necessidade do favorecido. Se vier tarde ou rastejando, de nada mais serve. Aliás, só serve para empacar a gente, nos deixar presa a uma situação.
.E aí, eu espero ou não que fulano faça o que se dispôs a fazer pra mim, mesmo com jeito de quem não quer fazer?
Ahh, eu fico sem chão. Literalmente presa.
Sei que... prisão, presta não... e penso que ela deveria servir de moradia apenas para os que cometeram delitos graves. E eu sou certinha, certinha... até demais, pro meu gosto.

Bom, chega por hoje. Voltar ao trabalho. Quer dizer, nem voltarei, por ora. Vou fazer um favor à minha irmã Nelma (que aliás, me faz tanto, mas tanto favor, e sempre de jeito bom). Ela até disse: “pode ser lá pelas 13 horas.” Que nada, melhor agora. Sempre busco ou tento me colocar no lugar do outro. Coisa de gente prisioneira!!
E viva a liberdade!!!
.

3 comentários:

Genisvaldo Reis disse...

pirigosas são as certinhas que acertam certeiro.

Favor é mesmo uma coisa que prende muito, não temos a liberdade de cobrar e nem de dispensar, mas pra gente que a gente gosta não é favor, é uma responsabilidade que prende de um jeito meio diferente que dá prazer em atender. Sei não, penso assim.

Bárbara Fiz disse...

- Ah concerteza favor é uma coisa que nos prende muito,pois sempre somos obrigado a ter aquela idéia de ...*Ah fulano fez favor pra mim, devo a ele também*, e nunca poderemos dizer que nao faremos ou que nao queremos faze ficamos realmente sem liberdade rs.
Um abraço adorei o blog *~

Thiago disse...

e o que é realmente ser livre? adoro essa palavra ! LIBERDADE!