segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Das mentiras, suas grandezas e porquês

Se eu pudesse optar por viver livremente e bem, jamais mentiria. Livre até poderia viver, não mentindo; mas bem, tenho minhas dúvidas.

Outro dia conversando com um amigo sobre mentiras grandes, pequenas, necessárias ou não, me lembrei de quando dispensei uma ajudante por conta do uso excessivo de mentiras pequenas (o exemplo do final do post pode ter sido real). 

Algumas mentiras são necessárias, acredito. "Te acordei?" alguém pergunta. Dependendo da pessoa é melhor mentir e dizer: "não, eu demorei porque estava no quintal". Se você disser que sim, vira um climão e, no meu caso, prefiro evitar essa gastura. Essas mentiras pequenas e necessárias eu até admito. E admito talvez como justificativa, pois são as que mais comumente uso. E quer saber? Até com pessoas mais chegadas, num caso como esse que exemplifiquei, nem sempre rola tranquilidade em dizer a verdade simples, pura e boba. É um tal de ouvir pedidos de desculpas sem fim e sem motivo, que muitas vezes penso: poxa, deveria ter dito que tava no banheiro...

Tem as mentiras grandonas que eu, covardemente, quando as uso, chamo um cúmplice. Eu preciso de alguém para saber que menti e me ajudar no esquema. Definitivamente eu não tenho inteligência para mentira grande. Na minha forma de entender não ocorre, nesses casos de mentiras grandes, a compreensão de que o mentiroso, em questão, possa ter um lado ético, puro ou de 'gente do bem'. Mas não é esse o meu receio maior, confesso. Não minto muito grande por falta de inteligência e criatividade em prosseguir... Tenho saúde para mentira grande não. Ainda bem. Que bom que não sei fazer parte dessa turma, mesmo que por falta de inteligência. Ponto pra mim.

Agora, mentira mais sem fundamento e sem razão de ser são aquelas pequenas mentiras desnecessárias. Essas eu não tenho muita paciência para entender e quando me pego pensando no mentiroso de pequenas mentiras desnecessárias, quase tenho a certeza de que ele é usuário contumaz da mentira grande. Nada me tira essa ideia. É um habituado a mentir.
Um exemplo? "Pegue água do filtro e coloque na forma de gelo", você fala para uma ajudante, sem nem pensar o porquê disse "do filtro". O que te desperta a atenção é o fato dela falar "eu só coloco água do filtro, podexá". Você liga a antena, fica à espreita e vê a "muleca" colocando água da torneira na sua forma de gelo, com um riso disfarçado no canto da boca.
Outro exemplo? Na segunda-feira, a "amiga coitada" te fala ao telefone: "Tô passando tanta dificuldade financeira que vendi meu botijão de gás pro vizinho"; na quarta-feira, preocupada você volta a ligar, mas não pergunta nada daquela dificuldade e, no meio do papo, a sujeita dispara: "machuquei meu dedo quando fui arrastar o botijão de gás para limpar o chão". Hãnn??

Olha, experimente mostrar que você, como eu fiz nos dois exemplos citados, sabe da mentira. É muito engraçado as desculpas que inventam, a história que tentam tecer a respeito dos fatos. É de morrer de rir. Mas, gente, não basta rir, é preciso ficar atento. Pois é aí que mora o perigo das mentiras, suas grandezas e porquês. Quem mente pequeno desnecessário, mente grande com ou sem necessidade. Quem mente pequeno desnecessariamente é um perigo.

Fiquem espertos, moçadinha, porque os sujeitos e sujeitas de mentiras pequenas, se brincar, arrancam o  couro ou passam uma rasteira na gente. Só uma questão de tempo!!

3 comentários:

Jéssica Amorim disse...

Concordo. Do princípio ao fim. Mentirinhas desnecessárias ou mentirões me preocupam e incomodam MUITO.
Agora, imagine se eu com um furunculo na bunda pude dizer aos meus alunos o motivo do andar meio manco? Nanão... tive de inventar um "pé torcido" pra justificar e não ser motivo de piada ate o fim do ano hahaha.

Rosana Tibúrcio disse...

Ah, eu também estaria de pé torcido e unha encravada, Jéss, na boa... rs já melhorou a bunda? hauhsuhauahsus

Karina disse...

Tem mentirinhas que são necessárias! Como a história do furunculo na bunda da Jéssica.. haha

Mas, venhamos e convenhamos, essas mentiras desnecessárias são um tormento... São fatos e mais fatos que já aconteceram na minha vida, que depois que descobri peguei um ódio da pessoa!!!

Tem mentiras que nem sei pq as pessoas contam? Como o caso do botijão? Será que era necessidade de que você sentisse pena dela?

Bjos