quarta-feira, 6 de abril de 2011

Pro pau que nasce torto, pau nele

foto de Laura Reis


Todo mundo, num ou noutro aspecto, é "pau que nasce torto", convenhamos.
São tantos pensamentos, ações e desejos que carregamos de forma imutável e que, por vezes, apesar de não ser, consideramos bonito. Incluo, nesse sentido, as minhas inúmeras manias; apesar de considerar que elas não incomodam demasiadamente as pessoas. 
Mas... quando o pau torto cutuca o outro, torra a paciência de qualquer santo, é hora de alguém mudar. Se não muda o pau, que mudemos nós.


Tratar agora do meu incômodo atual e, espero, definitivamente enterrado. 
Há anos tenho uma amiga que amo de paixão e ela tem uma empresa que me serviu inúmeras vezes, infinitas vezes... só que o pau torto que há por lá me incomodava desde sempre. É como se a empresa tivesse uma norma além da honestidade e competência, digamos assim; há honestidade e competência no serviço que oferecem. Porém, há sempre um porém, a banda podre vem revestida da 'embromação'. É meio que uma lei instituída por eles: a gente fala que vai, mas não vai e jamais os motivos serão explicados ou justificados. Quem quiser que nos procure de novo, e de novo, e de novo. 
E assim a tal empresa caminha nesses tempos em que só faz sucesso de verdade quem, além de honesto e competente, é responsável. Porque marcar e não cumprir é irresponsabilidade.


Há umas três semanas questionei junto a uma funcionária que "captou" direitinho a missão da empresa sobre isso de "fazer hora com a minha cara"... e ó, momento Rosana rodando a baiana foi pra lá de ridículo. Há anos eu não perdia o equilíbrio emocional como perdi nesse dia: xinguei; falei alto ao telefone; dei murro na parede; disse todos os palavrões que conhecia; enumerei, de A a Z, sem disfarce, tudo o que pensava a respeito da forma com que eles atendem os "amigos" - dirá os não amigos. Rodei a baiana meeesmo, sem medo de ser feliz.


Pulamos então para sexta-feira da semana passada, dia primeiro de abril. Liguei e disse que algo meu já tinha chegado da assistência técnica de outra cidade e que eu precisava de alguém para instalar um acessório. Se havia como fazerem isso pra mim o mais rápido possível. A secretária que atende ao telefone me disse: "Rô, fulano vai atender três pessoas agora à tarde, pode ser depois?" Eu respondi: "claro, mas se não der pra vir, pode fazer o favor de me avisar?" "Claro!!!!"
Você veio? Você avisou que não vinha? Bom, era primeiro de abril, né? Dia da mentira... talvez...
Claro que não liguei de volta, nem morta. E ontem, respirei fundo, entrei em contato com um amigo do meu sobrinho que faz o serviço que eu precisava. Marcamos pras 18horas. Ele veio; trabalhou; estipulou o valor do serviço; paguei e pronto!!! 
O pau é torto, nasceu torto e torto morrerá... mas eu bem posso desviar de suas cutucadas, certo? Que alívio quando isso ocorre. Quero mais disso pra mim, pra vida toda, se possível...


E nessa de não esperar mais ninguém pra que resolvam o que me prometem resolver, vou ligar pra um "bombeiro" vir aqui trocar a torneira da pia de minha cozinha... 
E daqui uns dias eu pego o dinheiro de um desses trabalhos que surgirão (ontem apareceram dois futuros clientes) e mando fazer a estante da minha sala de TV. Estante que eu ganhei, não recebi e não receberei nunca, por certo.
Estou realmente disposta a desviar desses "paus tortos", tenho tolerância  mais não, pois é melhor pagar um desconhecido do que eu achar que vou receber algo com preço menor ou de graça de um conhecido, "amigo". 
Nada é tão mais caro do que se descobrir uma palhaça em mãos alheias, do que perder a paciência... 


Detalhe: pra receber pagamento ou pegar algo como empréstimo as mesmas pessoas que me irritavam com essa irresponsabilidade, levam menos de meia hora pra chegar aqui em casa. O "tal peso, tal medida"... 
E assim caminham os embromadores. Eu quero mais é ficar longe desse povo, no que se refere à prestação de serviços. 
Em relação à amizade levo de boa, apesar de não entender esse comportamento. Mas quem disse que todos precisam ser como eu? Pros de casa, pros amigos tudo que faço é pra ontem... mas isso é papo pra outro post...


.

3 comentários:

Karina disse...

Ola. Leio sempre seu blog. Te admiro. Me identifiquei com esse post. Estou tentando melhorar essa minha atitude de fazer tudo para ontem o que é para os outros. As pessoas me ajudam, depois de muita reclamação de minha parte pq se eu esperar será para daqui 5.000 anos e como fóssil nem precisarei disso mais.E fora que obrigado nem sabem o que é isso!
Bjs

Sr.Apêndice disse...

Nada que uma "rodada de baiana" não resolva... É impressionante! Tem coisas mesmo, concordo contigo, que só um pau para desentortar outro.

Sempre é bom ler o teu ótimo humor acima de tudo! ;D

Taffarel Brant disse...

Nada como nos espelharmos nas sábias palavras dos poetas do Grupo É o Tchan: Pau que nasce torto, nunca se endireita. Menina que requebra, mãe, pega na cabeça.

É filosofia PURA.
Ai, sou culto demais, credo.