quarta-feira, 7 de julho de 2010

"Q"uase

.
Quase não se falava noutra coisa ali no bairro. A vizinha tinha um amante e ninguém sabia ao certo quem era, de onde vinha e como vinha. Comentavam apenas que quase sempre àquela hora e quando as cortinas da casa estavam fechadas, era ele lá.
Naquele dia - não aguentando mais de curiosidade, pois quase todas as amigas faziam questão de comentar, quase todos os dias sobre aquele "romance" - ela quase subiu naquela árvore para espiar o que, de fato, ocorria naquela casa quase em frente à sua.
Mas como era quase na hora de seu marido chegar, decidiu que no outro dia quase um pouquinho antes daquela hora voltaria ao local de investigação.
E no outro dia ela quase pegou o marido entrando na casa da vizinha. As outras amigas de longe observavam e diziam umas pras outras: se ela tivesse chegado quase um minutinho antes...
.

4 comentários:

Taffarel Brant . disse...

É esse tal 'quase' que quase me mata!

Palmitos e Cogumelos disse...

Quem procura (quase) acha!

VELOSO disse...

Tô curtindo seu blog gostando mas sem jeito para comentar sem cair no lugar comum o que também já é um lugar comum. Gosto do seu estilo menina!

Rafael Freitas disse...

ADOREI!