domingo, 4 de julho de 2010

"O"u oito ou oitenta

Se tem uma coisa que não me convence é quando alguém diz: sou de opinião, comigo é assim, ou oito ou oitenta. Defino isso como burrice, nada mais.
Convivi muitos anos com uma pessoa que dizia sempre, inclusive quando eu pedia desculpas por alguma coisa à toa, um esbarrão, por exemplo: quem pede desculpas é gente sem vergonha, é quem não pensa antes de agir (Ãhãããããnnnn, senta lá Claudia).
Pergunto: há como ser linear a vida toda? Quem não te conhece que te compre, oww pessoa do bem, mas que erra.
E vi esse sujeito errar muitas vezes: errinhos, erros e errões. Realmente, nunca o vi/ouvi pedir desculpas... e, vou além, erro maior taí em se fazer de pedra, daquelas que não saem do lugar e não mudam de configuração.
Sempre que ouço falar de ou oito ou oitenta eu me recordo do sujeito durão, de opinião... e não resisto a uma risada... tá, mesclada com uma certa peninha.
Mas... nem é disso que queria falar - como diz Oswaldo Montenegro nos seus DVDs - queria mesmo era entender o que se passa na cabeça de torcedores brasileiros que descem a lenha nos jogadores, no Dunga (que adoUUUro, foda-se se alguém não) e simpatizantes. Isso é bem estilo "ou oito ou oitenta", bem estilo: não perdoo erros.
Tenho a sensação que essa birra toda, essa falação sem parar, esse virar as costas é tão aquilo: "já que não consigo resolver meus problemas vou torrar o saco de quem errou, porque é bem mais fácil enrolar meu rabo, sentar em cima e malhar o que tá na minha frente."
Gosto disso não. Sou bem maleável pra entender erros alheios e até por isso sou esperançosa pra que entendem os meus.

6 comentários:

Menina do dedo azul disse...

Adorei!

Achei cada linha tua preciosa... e nisso sou 8 ou 80 (e pode me chamar do q quiser)! =)

Apoena Míope disse...

Rosana, oito ou oitenta são números que expressam uma infelicidade.

Certa vez, um escritor, quando um jornal lhe perguntou o que havia de errado no mundo, simplesmente respondeu: "eu". Concordo totalmente com ele.

Gostei da postagem.

Palmitos e Cogumelos disse...

Nelson mandela dizia que se não estamos prontos para mudar quando as circunstâncias exigem então como podemos esperar que os outros mudem...
Ando convivendo com tanta gente 8 ou 80 no trabalho, que fica rígido demais com os outros, dificulta tudo...
Ahhh é duro!

Rosana Tibúrcio disse...

Que cuti cuti das três meninas...rs

Camila de Souza disse...

Tô contigo e não abro. Rá

Rafael Freitas disse...

O que não é a felicidade de uma pessoa flexível, não é mesmo minha gente?