sexta-feira, 11 de julho de 2008

Rasgar é bom



Há coisas na vida que eu tenho um jeito extremamente paradoxal de pensar e sentir ou uma certa incerteza, sei lá bem o que é...

Ao mesmo tempo que acho ridículo aquelas pessoas que quebram coisas em momentos de ira, penso que rasgar, quebrar, dar murros "no ar" pode sim, ser uma terapia e das boas.

Ontem, em meio a uma brincadeira com Ana Clara e Heitor eu rasgava uma caixa e dizia: "não me irritem, senão rasgo vocês." Fazia mil caretas e eles riram demais comigo. Ana Clara até pediu que Laurinha me fotografasse neste "singelo" momento.

Depois, olhando a foto por aqui, eu me lembrei de algumas vezes em que eu destruía papéis, contas, notas antigas e sentia um certo 'prazer' ao fazer isso, como numa catarse.

E fico me perguntando: "é o gosto pelo destruir o que não presta mais ou pela simbologia de "rasgar" alguém ou alguéns???"

Vai saber, vai saber... rs

.


3 comentários:

rafa disse...

Se filho de peixe peixinho é,a sra rasga mais pela simologia, pode crer, mainha!
rs

(e a sensação de alívio depois??? bom demais!)

Rosanaaaaaa disse...

Sim, sim...provavelmente é pela simbologia. Oww, eu tenho rasgado gente... haha
Vim aqui mais cedo responder, mas ficou tudo erradinho... depois não tive como voltar.

Haline disse...

Humm, nunca pensei desta forma, mas esta deve ser uma ótima terapia.
A michele, uma reikiana que fui no início do ano, me ensinou a terapia do grito. Ainda não consegui fazer, mas segundo ela é o "ó do borogodó"!!! rsrsrs

Saudade Rosana!!!
Mas minha ausência é por uma ótima causa!!!

Namastê