sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Cinquenta e cinco canções: a minha trilha sonora

.
Cinquenta e cinco lindas canções eu listo agora. O que não quer dizer, necessariamente, que são as canções que eu mais adoro em toda a minha vida. Não, elas não representam isso, mas são aquelas que, no decorrer da série55 e já sabendo que ia fazer esse post, eu fui me recordando.
Muita gente que eu amo ficou de fora: Milton Nascimento, Elis Regina, Marisa Monte, Zizi Possi, são alguns que destaco. Mas o meu objetivo foi esse mesmo: ir listando as minhas lembranças da vida afora, mas não só, porque algumas canções são de agora, como as de Tulipa Ruiz e Amy Winehouse. Amy eu gosto já há algum tempo, mas foi neste ano que eu comprei um dvd dela e é pra nunca mais largar. Amo, de paixão!!
As canções de Oswaldo Montenegro e de Caetano Veloso eu poderia citar a maioria, mas não quis. Afinal, Rosaninha Tibúrcio é, também, diversidade.
E sim, sou brega sim. Aos olhos do outro. Aos meus olhos, não. Vez em quando sou criticada por gostar de Só pra contrariar, Daniel e similares. Mas se sou cafona, o que posso fazer? O amor e a paixão recolhidos são cafonas? E quem há de provar?
E essa lista me deu trabalho, minhas gentes, uma pesquisa árdua. Se alguém encontrar alguma informação indevida é só me avisar - com calma, porque sou sensível e quem manda aqui no pedaço sou eu...rs
Divirtam-se!!!

1. Água - de Kassin + 2 com Caetano Veloso do show Zii e Zie – morri de achar lindo. Delícia.
2. Amor de índio - de Beto Guedes, com Maria Bethânia – o que é essa mulher cantando essa canção lendo a letra, assim, diretinho do papel, minhas gentes? E que letra é essa? A melhor de todas, talvez.
3. Amor meu grande amor - de Angela Rô Rô e Ana Terra, com Rô Rô – e vamos cair na fossa, quase um estilo Maysa de ser...
4. Bete Balanço - de Cazuza e Frejat, com Barão Vermelho – essa melodia e essa batida, me pegam; uma daquelas canções em que não há necessidade de "entender" a letra.
5. Cajuína - de e com Caetano Veloso – deliciem-se com a canção, com o porquê dela e, mais ainda, com a belíssima voz falada do meu ídolo-mor, quando de uma participação dele no já extinto Programa Livre de Serginho Groisman
6. Chão de giz - de e com Zé Ramalho, mas pode ser com qualquer cantor que cante bem, porque essa música diz tudo e mais. O Zé é feio, com força, mas eu bem pegava ele, só pela voz e canção, por que né? “Nem vou lhe beijar, gastando assim o meu batom...”
7. Como dois e dois - de Caetano Veloso e pode até ser com o Rei , mas se for com o próprio autor, meu ídolo-mor, o Caetano, eu bem que morro aos pouquinhos
8. Como la cigarra - de María Elena Walsh com Mercedes Sosa. O que é essa mulher cantando, minhas gentes? O que é essa voz?
9. Como uma onda - de Lulu Santos e Nelson Motta, com Lulu: é quase um hino.
10. Depois do prazer - de Sergio Caetano e Chico Roque com Alexandre Pires porque eu tenho um pé sim, na cafonice, na breguice e adoUUUro um me-mata-de-amor-pelo-amor-de-Deus
11. Desejo de amar - de Gabú e Marinheiro com Daniel  ou Eliana de Lima, porque sou brega messsmo. No fundo, bem lá no fundo eu sou muito “Undererê como dói a solidão, não, não, não, não, não”; confesso, sem medo de punição, por que né? Onde há breguice há um “Undererê, venho te pedir perdão, perdoa paixão...”
12. Diana - de Paul Anka com Caetano – que é pra morrer de vez – não sei o que há, mas essa canção me pega.
13. Do fundo do meu coração - de Roberto Carlos e Erasmo – com Erasmo e Fernanda Takai – uma das melhores apresentações de todos os programas “Som Brasil” e olha que desse programa eu posso falar, assisti todos e tenho a maioria gravado.
14. Don't Cry for Me Argentina - de Tom Rice e Andrew Lloyd Webber com Madonna, mas poderia ser também com Vanusa e sei lá mais quem... é uma coisa muito linda.
15. Drão - de e com Gilberto Gil – merece tortura um homem que faz uma canção dessas. E eu bem queria ser uma “drão” na vida de um homem qualquer.
16. Duerme negrito - de Atahualpa Yupanqui (não tenho bem certeza, as informações que colhi estão truncadas) com Mercedes Sosa e sem maiores comentários.
17. Efêmera - de e com Tulipa Ruiz. Minha nova descoberta de final de 2010. Estou encantada com essa cantora e essa canção tenho escutado, sem parar.
18. Escrito nas estrelas - de Carlos Rennó e Arnaldo Black, com Tetê Espíndola porque eu gosto e me faz lembrar um tempo bom lá naquele Espírito Santo da vida. Paixão não, mas êê sardadi...
19. Esperando na janela - de Gilberto Gil, Targinho Gondim, Manuca Almeida e Raimundinho do Acordeon, com o Gil porque ele é o máximo... e êêê lasqueira veia
20. Essa tal liberdade - de Paulo Sergio Valle e Chico Roque com o Só pra contrariar e Fábio Júnior – outra manifestação do meu lado brega-sou-xonada-sim-e-daí?
21. Estádio Holly Estácio - de e com Luiz Melodia. Essa voz, essa música acabam comigo. Amo sem medir.
22. Êta Nóis - de Luli e Lucina, com Ney Matogrosso, com o Rolando Boldrini ou com elas, tanto faz, a música é linda demais. É uma canção de amor-amigo, li a respeito no livro Então, foi assim?, vol. 2, de Ruy Godinho (2009, p. 108-111) – referência, bem estilo acadêmico, mas ó, vale a pena ler.
23. Eu te devoro - de Djavan, com ele é lindo, mas com Luiza Possi, no Som Brasil, é deslumbrante
24. Final Feliz - de Jorge Vercíllo com Só pra contrariar e Caetano Veloso – prosseguindo meu lado brega, mas agora com o apoio do meu ídolo-mor.
25. Grand hotel - de George Israel, Paula Toller e Lui Farias, com Paula Toller. Essa canção além de ser linda na voz de Paula, retrata de forma bem fiel o porquê do fim de muitos relacionamentos, né minhas gentes? “Se a gente não dissesse tudo tão depressa, se não fizesse tudo tão depressa, se não tivesse exagerado a dose, podia ter vivido um grande amor..”
26. Laura - de Antonio Carlos e Jocafi com Pery Ribeiro – é preciso explicar mesmo o porquê deu gostar  dessa canção?
27. Mapa-múndi - de Thiago Pethit com ele mesmo – conheci esse cantor e essa canção num dos melhores programas de TV: o Altas Horas. Aliás, Serginho sempre foi bom, quem não se lembra do “Programa Livre” no SBT? Vide Cajuína (canção 5).
28. Marina - de Dorival Caymmi com Gilberto Gil por que né? Nem preciso falar dessa também.
29. Mês de maio - de Almir Sater e Paulo Simões com Almir Sater. Só uma música linda assim pra saudar um dos meses mais bonitos do ano.
30. Nada por mim - de Paula Toller e/ Herbert Vianna, aqui com Paula Toller, mas essa canção é daquelas que ficam lindas na voz de muita gente... e êê paixão “Você me tem fácil demais e não parece capaz, de cuidar do que possui...”
31. Não aprendi dizer adeus - de Joel Marques, com Leandro e Leonardo. Fui muitas vezes chamada de cafona por esse gosto, mas eu adorava ouvir esses dois cantarem e queria lá saber de letra, gostava das vozes e da canção... e deu um dó de ver Leandro morto. Já assistiram “Por toda a minha vida” com ele? Se alguém quiser chorar eu empresto, cerca de 20 reais o aluguel do dvd... hauahaushaushas
32. Não vá ainda - de Zélia Duncan e Christian Oyens, com Zélia no dvd Sortimento, que é lindo, do início ao fim; nessa canção, ela arrasa.
33. New York New York - de Fred Ebb John Kander aqui com Frank Sinatra, mas poderia ser com Cauby Peixoto, Liza Minelli e o diabo a quarto. Até eu, cantando essa música, fica bonito (calma, gente, em pensamento, ok?)
34. Non ho l'età - de Panzeri, com Gigliola Cinquetti – essa é uma das canções do meu tempo de jovem (é, já fui um dia, cês podem não acreditar) – linda demais... e que voz a dessa mulher.
35. O bem e o mal - de e com Danilo Caymmi. O que é esse homem, mó Deus, eu pegava, na boa. E que saudade da minissérie Riacho Doce, uma das melhores que já vi na TV. Eu quero esse dvd pra mim – da minissérie. Aliás, ele faz parte desta minha lista de presentes aqui, é o item 27.  Que tal um prêmio por conta desse serviço de utilidade musical que presto a vocês, neste post? Reflitam.
36. O meu amor - de Chico Buarque com Marieta Severo e Elba Ramalho – se pudesse esganava os três, né? Porque Chico é um fdp pra escrever essas canções e as duas arrasam.
37. Onde estará o meu amor? de Chico César, com Maria Bethânia – Essa música com a Bethânia fica muito sem educação. “Se a voz da noite responder, onde estou eu, onde está você, estamos cá dentro de nós, sós...” dôcontadissonão
38. Oração pela família - de Padre Zezinho, com ele. Porque família é tudo de bom e nenhuma deveria ser destruída por falta de amor, mas né? Homens, homens...
39. Outro abraço - de Marco Camarano - esse vídeo é uma coisa linda de se ver. Vamos ao abraço em 2011?
40. Paciência - de Lenine e Dudu Falcão. Adoro essa música, a voz de Lenine, a letra da canção: tudo. “Eu finjo ter paciência...”
41. Paralelas - de Belchior – com Vanusa – gosto dessa canção desde sempre e na voz de Vanusa ela é belíssima.
42. Por brilho - de e com Oswaldo Montenegro. Gente, eu amo quase todas as canções de Oswaldo, e se pudesse eu esganava Madalena Sales, musa de muitas, inclusive dessa.
43. Por hoje é só - de Zélia Duncan – é um primor essa canção. No dvd Sortimento ela é mais linda, mas não achei, vai esse vídeo aqui mesmo.
44. Preta Pretinha - de Galvão e Moraes Moreira com Os Novos Baianos. Minhas gentes, eu amo essa música desde sempre, ou seja, há mais de três décadas. Saía do serviço correndo (sim, tô na senzala desde sempre) pra chegar a tempo em casa e ouvir o primeiro lugar na parada musical de um programa de rádio... haauahauhs Isso foi antes da invenção da roda, minhas gentes.
45. Refazenda - de Gilberto Gil com ele – Gil, posso te matar com um abacate na cabeça?
46. Se - de Djavan com ele mesmo. Por que o “se” pode, muitas vezes, ser um pé no saco, mas nunca tão bem cantado assim.
47. Segura na mão de Deus - de Nelson Monteiro da Mota - com Cantores de Deus – adoro, adoro, adoro, sem explicação.
48. Te ver - de Samuel Rosa, Lelo Zanetti e Chico Amaral com Skank – gente, adoro, saudade do tempo em que eu fazia academia. (vocês se assustaram por quê? Pensam que tive a vida toda essa inércia? Já malhei, macacada...)
49. Ternura - de Roberto Carlos e Erasmo com Roberto e Vanderlea – ahhhhh, eu adoUUUro, dá uma saudade boa...
50. Tocando em frente - de e com Almir Sater e Renato Teixeira – porque essa canção é quase uma oração. O que é essa letra, meus amores?
51. Tudo diferente - de André Carvalho com Maria Gadú, com Maria Gadú. Eu gosto dessa cantora, digamos assim, nova, e adoro essa canção. A impressão que tenho é que Gadú não faz esforço algum pra cantar... e sai tão bonito.
52. Um dia desses - de Torquato Neto e Kassin – com Adriana Calcanhoto – muito linda, leve e romântica, porque Rosana também é sossego.
53. Vida bela, vida - de e com Almir Sater “Nossos corações, quando podem ser felizes batem muito mais” – já falei que amo esse homem? Então, eu pegava!
54. Wake up alone - de  e com Amy Winehouse. Minhas gentes, eu  não enjoo de ouvir a Amy... e, sei não, é a melhor de todas as cantoras do mundo. Preciso urgente de outro dvd dela (sacaram?)
55. You've got a friend - de Carole King, com James Taylor – o que é esse homem, minhas gentes? Eu bem pegava esse lindão. AdoUUUro: ele, a canção e desde o primeiro Rock and Rio eu amo. Eu era feliz nesse tempo e sabia. Sejamos...

Obs.: com esse post encerro - até que finalmente - a minha série55. Pra nunca mais, porque nósinhora, trabalhão esse trem me deu.
.

5 comentários:

Luiz Roberto Turatti disse...

"Dio, Come Ti Amo" no Cine Araruna

Foi no final dos anos 1960 ou início dos anos 1970 que tive o privilégio de assistir, no majestoso Cine Araruna (Araras-SP), a esse grande clássico do cinema mundial "Dio, Come Ti Amo", com a romântica cantora e artista principal Gigliola Cinquetti. Muitas recordações de minha mocidade me vieram à mente... Quanta saudade... É uma raridade... Um romance tão bom quanto "Candelabro Italiano", "A Princesa e o Plebeu", "Dr. Jivago", "E o Vento Levou...", entre tantíssimos outros. Há mais de 30 anos comprei a fita K7 de "Os Grandes Sucessos de Gigliola Cinquetti", de 1968, e há pouco tempo o adquiri também em CD. Fazia anos procurava em DVD e finalmente o encontrei. MAGNÍFICOS!!!

Ah!, graças a Deus, o "PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE", GIGLIOLA CINQUETTI, continua cantando e encantando com sua bela voz, bela música, simpatia..., mundo afora!!!

Feliz Santo Natal e Feliz 2011 a todos vocês!!!

P.S.: A belíssima canção, histórica, "Non ho l'età" (34.ª de sua lista) foi a primeira de Gigliola que lhe deu a vitória no Festival de Sanremo (1964), e faz parte da trilha sonora do filme "Dio, Come Ti Amo". Assista Storia del Festival di Sanremo: http://www.international.rai.it/raitalia.tv/programma.php?cat=10&id=1271

Elis (ou não!) disse...

Rosana,

Obrigada pela visita no meu Blog.

Gostei bastante do seu também.

Voltarei mais vezes.

Abraços

Laura Reis disse...

oh.. eu li tudo.
em casa prometo escutar todas.
;*

Vanderley José Pereira disse...

Eu quero um cd, uma pasta em algum site de musica, um pen drive com toda, para eu ouvir e te conhecer melhor ainda!

Rosana Tibúrcio disse...

Limão, só clicar nos links, ué!!! heheheh
beijos, seu lindo!!