quinta-feira, 15 de outubro de 2009

“I”, in, im e ir, em professor*...


Para os “saberes necessários à prática educativa**” - de acordo com Paulo Freire, em sua “Pedagogia da Autonomia” - é preciso que o professor tenha uma série de qualidades que faz com que ele seja indispensável à formação de qualquer pessoa, não é mesmo minhas gentes?
Educar não é fácil não, eu bem sei disso; o babadinho é mais complicado do que se imagina. Eu penso que o professor precisa ser inspirado, pois “ensinar exige alegria e esperança”; ser inteligente, pois “ensinar exige pesquisa”; ser intenso, pois “ensinar exige comprometimento”; ser imparcial, pois “ensinar exige estética e ética”; ter intuição, pois “ensinar exige bom senso” e, dentre mais outras tantas características boas, ser isento de culpa, pois “ensinar exige tomada consciente de decisões”.
Creio que o professor ideal deve ter essas características que acabei de citar, mas infelizmente há uma série deles que não corresponde a essa imagem e faz de seu aluno verdadeiro saco de pancada.
Essa “categoria” de maus professores vai do pré-primário à faculdade, podem acreditar. Homens e mulheres que se vestem da profissão de educador e são imbecis, impacientes, inacessíveis, incapazes, incoerentes, incultos, insensíveis, irracionais e irresponsáveis. Muitos se acham com o rei na barriga, verdadeiros detentores do saber.
O pior de todos os defeitos de um professor é a incompetência. Faça-me o favor!!! Professor incompetente me provoca verdadeiro “ímpio”. Ele se acha sempre o certo, parece que usa uma viseira e não enxerga além do umbigo e do espelho. Tenho birra de profissionais assim. Bacana mesmo é aquele professor que carrega dentro de si e de seus ideais a vontade de aprender com o educando. Esses eu idolatro: para sempre.
Parabéns ao professor educador pelo dia de hoje e por todos os outros dias, pois ele é imprescindível ao desenvolvimento de qualquer pessoa ou pais.
.
*O post é também uma homenagem à minha mãe que era professora e faria anos hoje, se viva.
*essas e as outras citações são do livro "Pedagogia da autonomia" (vide imagem da capa), de Paulo Freire, o Educador maior.

7 comentários:

umdia disse...

Que bom que você tem "ins" positivos aos montes. Adorei essa música. Não conhecia. Bj

Priscila disse...

Professor tem também que gostar do que faz, pq na maioria das vezes o salário não é lá essas coisas e tem muito aluno que dá ímpios inimagináveis. Aí, vira esse caos que vemos em milhões de escolas.

Ah, eu leciono meio que por acaso e como tento tirar as viseiras dos meus próprios alunos... Não é fácil...

bjs

Jéssica Amorim disse...

Coisa mais linda seu post de hoje.
Adorei... principalmente: "Bacana mesmo é aquele professor que carrega dentro de si e de seus ideais a vontade de aprender com o educando".É o que quero ser, e serei!!

Beijos.

Rafael Freitas disse...

Eu fiz magistério, mas desisti de se professor.
Às vezes fico pensando se eu conseguiria ser inteligente, imparcial, criativo com os alunos...

LauraReis disse...

parabéns ao professor por ser professor, porque valha-me Deus...
é querer a santidade.

Rosana Tibúrcio disse...

Tive que rir da Laurinha... rs

umdiaHelô disse...

Também ri muito da Laurinha...rsrs