segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Que nem lavadeira...

Tô eu lá, no terminal do banco, na boa, tentando pagar um boleto dum presente que eu me dei de Natal (mas isso é tema para outro post), "no-que-quando-cuidei-que-não, um Zé Mané atrás de mim. Atrás não, colado em mim.
.
Olhei pra cima, pois o sujeito media o dobro da minha pequenina pessoa, encarei o sujeito e ele nem piscou. Pisei no pé dele, ele me pediu desculpas - hahahaha
.;
Eu fui me afastando, à medida que a dita máquina ia imprimindo o meu extrato. Quando peguei o papel, encarei o cara, em cima da minha rasteirinha e disse: "daqui a pouco você me atropela e entra dentro da máquina", e ele: "eu tava olhando só esse número aqui" e apontou para um número que tem lá no terminal; e eu: "olhando número que nada, você é muito indiscreto, mal educado e grosso. Por que não se distancia como aquele senhor ali? cada sujeito grosso que a gente encontra pelo meio do caminho... " e fui saindo.
.
Comprei um babado lá na padaria, onde tem esse terminal, paguei e fui rindo sozinha pelo caminho...
.
Eu parecia uma lavadeira, batendo boca com um sujeito que media 3 metros... hahaha
.
Né por nada não, tem coisas que me irritam com profundidade, essa é uma delas: indiscrição.
Pronto, DESABAFEI!!!
.
.

Um comentário:

rafa disse...

uai...
Eu achei que já tivesse comentado aquiiii!

Essas coisas só acontecem coma sra, hein?!
haha