terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Nem que fosse só por hoje

Hoje eu queria ter um nome exótico, bonito ou mesmo ridículo, como: Stéphanie, Amanda ou Perpétua Piedade.
Mas não, eu me chamo Rosana.
Queria ter nome doce como Clara ou de dançarina de boate brega como Samantha Cristhina, e por favor, com Th.
Só que me chamo Rosana.
E se talvez eu me chamasse Ramona, Juliana ou Patrícia, na intimidade me chamariam de Ra, Ju ou Pa.
Mas sou Rosana, e se me chamarem de Ro, sem o acento, fica como um engasgo, e Rô pode ser tanto pra homem como pra mulher e queria - pelo menos por hoje - ter um diminutivo bem feminino.
Ser Rosana é danado, porque as Rosanas têm que ser fortes todos os dias, haja chuva, haja sol, menstruadas, com TPM ou a caminho da menopausa.
Esses todos nomes aí são, uns feios, exóticos, lindos, doces, mas todos me parecem ser nomes de mulheres que podem ficar sempre numa rede, ouvindo música e fazendo nada.
Hoje cansei de ser Rosana, vontade de um outro nome que pudesse realmente sanar meu cansaço de mulher batalhadora.
Queria um outro nome: Ísis, Telma Lúcia, Zuleika, Maria Adelaide, Lara ou Isadora, nem fosse só por hoje.

Um comentário:

rafa disse...

ZULEIKA???
.

Nas minhas elucubrações, eu sou o Zé. Simples, como o nome.
Simples assim.