terça-feira, 6 de novembro de 2007

Ou o aceite do jeitinho que ele é ou...

Quem diria, logo eu que sempre fui favorável ao perdão e à crença de que o outro pode mudar sim, em nome dum tal suposto "amor", logo eu... mas...
E assim, eu me vi ontem aconselhando, de verdade, uma quase filha a chutar o balde.
A vida me ensinou, infelizmente, e a custa de algumas lágrimas que pau que nasce torto, morre torto, messsmooo; nem vale ter muita esperança pra certas mudanças, ela NÃO acontecerá, JAMAIS.
Ou você aceita o outro como ele é ou caia fora e tente ser feliz com outro, outro...
É isso!

Um comentário:

rafa disse...

É...
Quando vira 'murro em ponta de faca', melhor deixar pra trá e seguir em frente!