quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Nome é pra ser chamado.

Alô meus amores. Perguntar uns babadinhos pra vocês.

Como lidam com as pessoas e os nomes das pessoas que fazem parte do dia-a-dia de vocês? Sabem os nomes de todas elas? Porteiro, faxineira, vizinhos? E mais, quando conversam com alguém que não conhecem, mas que tem um crachá, você olha o nome que tá ali escritinho, na sua frente, e no diálogo que trava com esse alguém, você usa o nome que ele tem? Ou ignora? Eu uso, adoro ler e falar os nomes dos crachás... rs

Só que comigo, nem tudo é bonitinho assim. Ler e dizer do crachá é fácil. Quero ver saber os nomes daqueles em quem esbarramos pela vida. E esses dias eu pensava aqui com meus botões (depois li um post no blog de Rosana Hermann sobre o mesmo tema) como é importante tratar as pessoas pelos nomes que elas têm. Porque eu tenho um lance com nome, né minhas gentes? Afinal, eu vendo gravuras de nomes e já criei até uma série de nomes no blog. E pensei, principalmente, como eu gosto de ser tratada pelo nome nome lindo (humildade e egoísmo gritando!!).

E aí pensei (sim, eu penso) mais um tiquim: "como assim, eu não sei o nome do moço que entrega carne aqui em casa há não sei quantos anos?" VERGONHA define. Afinal, todo mundo tem nome.
Hoje eu fiz essa pergunta pra ele - justo pra ele, que sempre fala meu nome lindo [oi?] quando conversamos. Mais vergonha ainda, né. É, mas hoje decidi mudar esse trem. 

Perguntei então e adorei perguntar, era questão de honra. E ele se chama Bruno. Facim né? Alívio! 

Alívio por saber o nome dele e, também, não vou negar, por ele ter um nome fácil, bonito... porque se fosse algo parecido com Genésio, Astrogildo, Felisbino ia dificultar todo esse meu exercício, vamos combinar (tá, eu não presto... hehe).

Não querendo dar lição de moral, nem sugestão estilo autoajuda às avessas, mas... olha, se nos colocássemos SEMPRE no lugar do outro tudo seria tão mais feliz, né não?

Eu adoro o meu nome. Eu adoro muito mais ser chamada pelo meu nome. E você??? E você, e eu, e nós? Já paramos para pensar que o outro, também, pode gostar???

8 comentários:

Helô disse...

Aiai...Rosana e não Rosanita!
Também adoro meu nome e sim, procuro sempre saber o nome das pessoas com as quais tenho que falar. E minhas filhotas aprenderam direitinho a lição.

Rosana Tibúrcio disse...

Rosanita, sim. Eu adoro apelidos, Helô... não falei sobre porque minha intenção era mais relacionada a saber do outro, entende?

Apelidos que gosto são bons tanto quanto o nome. Adoro Rosanita, Rosaninha, Rô, Mainha, Mamita, todos.

Jéssica Amorim disse...

Acho extremamente educado saber o nome das pessoas, admiro isso :)
Esta semana recebi a matricula de um senhor chamado Mordechai, e eu com a maior polidez perguntei como pronunciava, ele foi tao estupido que cheguei a corar. Disse: chame como quiser, ng acerta mesmo. Ai eu respondi que acho falta de educaçao falar o nome das pessoas errado e que ele podia me dizer pq certamente seria capaz de aprender.
Fiz quase outro post pra dizer que gostei do seu rs.

Rosana Tibúrcio disse...

Que cara mais mal-educado, meu Deus. E adorei a resposta "sou capaz de aprender". Tadinho, né? Com um nome desse deve querer matar pai e mãe sempre quando é questionado... hehehe
Adorei comentário, Jéss...

deusadovinho23 disse...

Eu sempre pergunto o nome de todos que encontro na rua e que dirige a palavra a mim , ou que venham aqui em casa.Acho isto muito importante.
Seu nome é lindo concordo,mas o meu...hummmmmm é chique bê.rs

Jéssica Amorim disse...

Ele é israelense, ta aqui ha vinte anos só, os pais tb tem os mesmo nomes "faceis".

Rosana Tibúrcio disse...

Ahhh, tá explicado...rs

Rosana Tibúrcio disse...

Olha a disputa de nomes... hehe