segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Das conversas e do amor

Tenho sonhado tanto com você nos últimos dias: que nos encontramos e ficamos, horas e horas conversando, como fazíamos há alguns bons anos... incontáveis anos...
Nos sonhos que tenho tido atualmente há aquelas conversas deliciosas, sem disputa de quem está certo ou errado, de quem tem ou não razão.
Os meus sonhos são daquele tempo em que os pensamentos e vontades eram falados, discutidos e, algumas vezes, discordados, mas de um jeito afetuoso, denso, sadio. Sentíamos leves, satisfeitos, unidos e completos.
Invariavelmente, algumas frases eram concluídas com um toque ou um olhar mais doce. E sempre, depois das tais conversas íamos saciados pra cama... muitas vezes, com outras vontades que eram, deliciosamente, saciadas também...
Nos meus sonhos atuais não há o tempo em que nossas conversas foram se tornando escassas, vazias, tensas e cheias de explicações inexplicáveis. Não há nos meus sonhos recorrentes a sensação de que cansados íamos pra cama com necessidade apenas de dormir...
Interessante, mesmo depois de passado tantos anos, sonhar com você, acordar e perceber que nossas conversas densas e, posteriormente, tensas sinalizavam a temperatura e morte do nosso amor...
.

5 comentários:

Flávia Jorge disse...

nossa, que coisa forte esse texto, Rosana.

[... tensas sinalizavam a temperatura e morte do nosso amor...]

Sinto vc bem reflexiva ultimamente, não é?

Muita saudade de falar contigo.

bj de boa semana.

umdiasereieumesma disse...

Rosanita! Concordo com Fla´: reflexiva e muito verdadeira. Bom demais ler você assim. É tão mais fácil ser assim, né! Tudo a ver com o outro post: Do que desejamos...
Bjs

Moça do Fio disse...

Também tenho tido sonhos assim. E acredito que seja um sinal de que as coisas não vão bem em algum aspecto da nossa vida.

Vamos transformar isso em realidade?


Beijo.

Anônimo disse...

Este é um tanto triste,mas gente tem saudade sim,e das coisas belas.O cérebro apaga em nossos sonhos aquilo que não nos fez bem.O bom disso é que fica uma saudade saudável!!!
Beijos procê
Réa Silvia

Rafael Freitas disse...

Eu não sei o que eu falo agora...