domingo, 13 de fevereiro de 2011

Respeito é bom e, muitas vezes, engraçado

Por ora o assunto do Outras trilhas é a reforma de minha casa. Afinal, respiro-a vinte e quatro horas por dia.
Os meninos que trabalham aqui são muito "gente boa" e engraçados: Adolfo (o chefinho, tio, pai); Julio (o filho do chefinho) e o Hélio (ex-Alfredo*, genro do chefinho). Ahhh, havia também o Charles (na verdade, Andraci, mas ele foi embora pro Paraná, sua terra). Enfim, é uma turminha muito interessante.
Apesar deles me chamarem, muitas vezes, de patroinha, eu vivo num cortado da peste: mandam em mim mais que professora brava em aluno sem noção.
Enfim... temos nossas horas de descanso, que é no café da manhã e no café da tarde. 
Normalmente, o café da manhã é mais corrido, porque o chefinho-mor é bravo... rs Mas à tarde, quase sempre há tempo pra umas boas risadas, um casinho ou outro. Nada que ultrapasse dez minutos, na verdade. MedAA!!
Outro dia, o Julio tava comendo seu pãozinho com café e chega, meio atrasado, o chefinho-pai que para na sua frente, olha fixamente pra ele e não fala nada. Julio, depois de uma "engolida" rápida, diz: "tá pai, senta aqui, o lugar é seu, eu fico em pé."
"Hãn, como assim?" Eu perguntei. 
E o chefinho,  com voz de comando falou, sem pestanejar, mais ou menos: "não preciso nem falar pro meu filho que o lugar de sentar, primeiro, é meu, questão de respeito ao pai..." 
No que o Julio concordou de boa: "é, primeiro o meu pai. Pode deixar que nunca mais vai acontecer isso, tá pai... perdão" O que se ouviu foi uma risada geral por causa das caras dos dois.
E eu, "indignada" com aquela cena, disse: "Mas Adolfo, olha o outro banco ali, é só pegar" e fui lá pegar o banco pro Julio. "Senta aqui, Julio, seu pai é mau".hauashaushaus
Julio agradeceu, sentou-se e disse: "obrigado Patroinha, mas se tem só um banco no lugar onde estamos ele deve ser do meu pai, ele é o chefe, mais velho, meu pai; tudo deve ser primeiro pro meu pai, faço tudo pra ele...e blablabláss" 
Tudo isso aconteceu em meio às risadas, espanto de minha parte, e respeito de todos, claro.
Eu pensei comigo: esse trem de muito respeito assim com os pais pode ser bombom...
 Adolfo, chefinho-mor e o Julinho
No outro dia de manhã, quando tomávamos nosso café e antes de Laurinha ir pro trabalho eu contei pra ela o ocorrido na tarde anterior. 
No final de meu relato eu disse: "filha, eu gostei desse trem, aprende com o Julio e passa a me tratar só assim, tá bom? Tudo primeiro pra mim..."
Aí a Laura só deu aquela levantada de sobrancelha que lhe é característica e falou firmemente, pra depois só virar as costas, dar um tchauzinho geral e ir embora: "tem jeito não Rosaninha, isso requer muito treinamento, um treinamento intensivo..."
O que se ouviu depois, nada mais, nada menos, foram só as risadas de quatro pessoas cho-ca-das com aquela menina...
Fazer o quê né? Não treinei as minhas filhas, agora aguento!!!


*Quando os meninos começaram a trabalhar aqui eu chamava o Hélio de Alfredo. Não me perguntem o porquê... O dia dessa "descoberta", pra não dizer, delação feita pelo chefinho-mor, foi super engraçado (mas isso é papo pra outro post).

7 comentários:

deusadovinho23 disse...

O patrozinho ai é bravo mesmo.Como ele é meu padrinho eu ainda peço bença e se não digo ele me olha estende a mão e diz "você está bem mesmo, tem certeza?".hahahaa

Helô disse...

Muito boa história!!1 Gostei demais! Acho que minha caçula teria a mesma reação da Laura. Bjs.

Luiz Castello disse...

Rosaninha querida.
Mudanças fazem circular novas energias pela casa. Depois voltarei pra ler com calma.
Passei pra te dar um beijo e um abraço, fraternos.

Jéssica Amorim disse...

Achei muito engraçadinho e quase que deu pra ver a cara da Laurinha dizendo isso, com aquele jeito que da vontade de ir atras e esmagar rs.

Marina Reis disse...

se não fosse a sujeira, a bagunça, a poeira e a falta de banco, queria muito estar aí. auahsusahasu
.
sou fã desses mocinhos.
meus modelos preferidos.
.
prometo deixar a senhora sentar sempre tá?

nem que seja no chão hahaha comigo, é claro.

Rosana Tibúrcio disse...

Gente, isso aqui tá uma piada, cês não queiram saber. Vou sentir tanta falta dos meninos.

Nina bandida, vem me ajudar a limpar a sujeira sá.

Rafael Freitas disse...

Bom, eu pelo menos te chamo de 'senhora'.
rs